DIVERSOS

Em consultoria online, HGWA e Sírio-Libanês trocam experiências sobre gestão na pandemia.

A organização de um gabinete de crise durante a pandemia da Covid-19 foi tema de consultoria online ministrada por profissionais do Hospital Sírio-Libanês à equipe do Hospital Geral Dr. Waldemar Alcântara. A tutoria remota, realizada em diversos centros hospitalares do Brasil, abordou temas como o compartilhamento das informações internas nos diversos setores do gerenciamento da unidade, além da gestão de leitos e fluxo.

Na ocasião, estiveram presentes profissionais do Núcleo de Gestão Estratégica e Planejamento (Nugesp) e da direção do hospital cearense. Do Sírio, o médico Paulo Azevedo e o engenheiro clínico Luiz Augusto ministraram o conteúdo. Todo o conhecimento será compartilhado com as demais equipes.

Para a diretora de Processos Assistenciais do HGWA, Thaís Lobo Herzer, muito do que foi abordado já está sendo implementado no hospital, o que gerou bastante satisfação durante a discussão. Desde a primeira onda da pandemia foi instaurado um gabinete de crise entre os gestores da unidade para avaliar e minimizar impactos e surpresas da grande demanda por atendimento.

“Gostamos bastante das sugestões e trocas de informações que poderão ser utilizadas. Hoje, nós conseguimos nos comunicar internamente da melhor maneira. Entre as ações, além das reuniões, temos uma comunicação rápida através das reuniões presenciais, uma vez por semana, e da troca de dados online, que vem ajudando bastante para tratar com muita agilidade as crises”, afirma Herzer.

O médico do hospital paulista Paulo Azevedo explica que a intenção é mostrar resultados positivos já implementados em diversas unidades, inclusive no próprio Sírio-Libanês. Toda essa abordagem visa a trazer benefícios, sugerindo a realização de encontros internos para tratar de temas importantes. Entre os objetivos e resultados já foram evitadas situações como consumo inadequado de recursos, esgotamento das equipes e desperdício de insumos escassos.

“O gabinete de crise, feito de maneira planejada, ajuda na organização estrutural do ambiente hospitalar. Nele, o resultado desses encontros de gestores é a organização e resultados eficientes, com a possibilidade de prever crises e saber tudo que acontece em todos os ambientes do hospital”, argumenta.

Adaptações

A gerente de risco do HGWA, Djane Filizola, pontua a importância dessa troca. Na reunião, ela detalhou toda a estrutura que vem sendo feita no hospital, como melhorias na organização interna para ofertar mais leitos para a Central de Regulação e a resposta satisfatória para a sociedade no quesito de comunicação de boletins dos pacientes Covid-19.

“É um rico apoio para os hospitais gerir a crise pandêmica de forma mais organizada e sistemática. Sempre alinhamos a questão organizacional de insumos, protocolos e fluxos. No HGWA, contamos com a formação efetiva de informações para as famílias, além de termos tido a rapidez na realocação de leitos que não eram referência Covid e hoje contamos com mais de 400 leitos. Destes, 234 leitos são somente para atendimento de pacientes Covid. A nossa resposta foi muito rápida para a sociedade”, pontua.

Mais duas consultorias foram ofertadas e serão agendadas em breve. Os próximos debates terão como tema a Reabilitação do Paciente Covid-19 e os Cuidados Paliativos Durante o Tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *